imagem
27 JUL 2015

Comunicao Corporativa em tempos de crise

Em momentos adversos, enquanto muitos choram, outros vendem lenços!” Quem não lembra ou nunca ouviu esta expressão? Recorremos a ela, neste momento em que inauguramos nosso blog, após a leitura de vários artigos a respeito, para embasar uma reflexão sobre a importância da comunicação corporativa em tempos de desordem econômica, de insegurança e instabilidade política.

Isso porque, mesmo vivendo a era digital, em que há muito mais exposição, tudo é instantâneo e interatividade é palavra de ordem, a tendência das empresas nesse cenário é reduzir ou até mesmo cortar as verbas das áreas de marketing, comunicação, branding etc., esquecendo que as crises são passageiras, ou melhor, não duram para sempre, mas que suas marcas foram criadas para durar.

Os momentos de crise potencializam os riscos de imagem e, portanto, a hora é de manter a visibilidade da empresa, de fortalecer o diálogo com seus diferentes públicos (stakeholders), gerar confiança e transformar informação em valor de forma criativa, proativa e transparente.

Como esta é também a era das pessoas, das experiências, em que “não estamos conectados, mas somos conectados”, como diz Luiz Lara (CEO da Lew’ LaraTBWA), o tempo todo estamos nos comunicando e nossa habilidade para isso é colocada constantemente à prova. Talvez, o cenário adverso seja uma boa oportunidade de criar novas estratégias de relacionamento e alinhar novas soluções.

Sendo assim, as organizações precisam realmente avaliar o potencial da comunicação empresarial como importante ferramenta também em tempos de crise para motivar o público interno, engajar e fidelizar o externo, desde que feita de maneira eficaz, com coerência, regularidade e linguagem adequada.

Afinal, levantamentos de especialistas mostram que as empresas que investem em comunicação e branding em momentos de crise tendem a sair dele com melhor reputação e maiores receitas. Já as que acreditam ter economizado ao cortar as verbas, passada a tempestade, terão que investir quatro a cinco vezes mais para recuperar seu market share.

Não esqueça: “quem não é visto não é lembrado!”

Comentar




Loader Enviando...


TOPO
Faixa do rodapé

© 2015 Agência Paulista de Comunicação - Todos os direitos reservados